Music

Canções que guardo para mim

Anúncios

Canções que guardo para mim


Canções que quero para mim

I am not in love 

But I’m open to persuasion
East or West
Where’s the best
For romancing

With a friend
I can smile
But with a lover
I could roll my head back
I could really laugh
Really laugh

Thank you
You took me dancing
‘Cross the floor
Cheek to cheek
But with a lover
I could really move
Really move
I could really dance
Really dance
I could really move
Really move

Now if I can feel the sun
In my eyes
And the rain on my face
Why can’t I
Feel love ?

I can really love
Really love
Love love love love

Now I got all
The friends that I want
I may need more
But I shall just stick to those
That I have got
With friends I still feel
So insecure

Little darling I believe you could
Help me a lot
Just take my hand
And lead me where you will
No conversation
No wave goodnight
Just make love
With affection

Sing me another love song
But this time
With a little dedication
Sing it, sing it
You know that’s what I like
Once more with feeling
Give me love
Love…

Make love with affection
Sing me another love song
But this time

With a little dedication
Sing it, sing it
You know that’s what I like

Once more with feeling
Sing me another love song
But this time
With a little dedication
Sing it, sing it
You know that’s what I like

With affection
With a little dedication
Once more with feeling
You know that’s what I like
Love…


Canções que quero para mim


Viver é …

A verdade é que a vida não é acertar no que as pessoas são. Viver é errar sobre as pessoas, errar, errar, errar e depois, voltando a pensar cuidadosamente sobre o assunto, errar outra vez. É assim que sabemos que estamos vivos: erramos. Talvez o melhor fosse esquecer isto de acertar ou errar no que às pessoas diz respeito e limitarmo-nos a deixar-nos ir. Mas, claro, sortudo o que conseguir fazer isso.

Philip Roth


Música para o fim-de-semana


Sunday sound


A weekend sound

So if you find someone
Someone to have, someone to hold
Don’t trade it for silver
Don’t trade it for gold
‘Cause I have all of life’s treasures
And they are fine and they’re good
They remind me that houses
Are just made of wood
What makes a house grand
Ain’t the roof or the doors
If there’s love in a house
It’s a palace for sure
Without love…
It ain’t nothin but a house
A house where nobody lives
Without love it ain’t nothin
But a house, a house where
Nobody lives.


Palavras com amor

A minha pessoa é a Maria João e a Maria João passa mal. Nem o amor nem a sabedoria médica a podem salvar. Só uma conjunção das duas coisas, mais um acrescento de milagre. O cabrão do cancro alastra-se. Exterminado no pulmão ou na mama, foge para o cérebro, onde se refugia e cresce. Forma uma força da morte, aproveitando as barreiras antigas entre o sangue e o cérebro, que infiltra conforme lhe apetece. Hoje, domingo, é o último dia em que estaremos juntos, dois amores, felizes há quase vinte anos. Amanhã, logo às nove da manhã, estaremos na consulta dos excelentes neurocirurgiões do Hospital de Santa Maria, onde nos avisarão das complicações possíveis. Obama deveria inspirar-se na perfeição clínica e humana do serviço de saúde português e francês. Mas a dor não diminui. Nem a tristeza abranda. Vai morrer o meu amor. Não vai. Como o meu amor por ela, nunca há-de morrer. As coisas acontecem sem acontecer o pensamento nelas. A alma, o coração e a cabeça são coisas diferentes. Que se dão bem. E são amigas. E deixam de ser quando morrem.

Miguel Esteves Cardoso (Público – 29 Abril 2012)


Crianças do arco-íris

Dentro da sala de audiências Anders Breivik ouviu, imperturbável, os testemunhos das vítimas dos atentados na Noruega. Cá fora, cerca de 40 mil pessoas saíram à rua para cantar “As crianças do arco-íris” que tornou-se o hino dos que protestam contra a intolerância.

Durante o julgamento, Breivik disse odiar uma canção infantil muito popular na Noruega, chamada “Crianças do arco-íris”, que fala de “uma terra onde as flores crescem” e onde todos vivem juntos, “cada irmã e cada irmão”. Para o autor confesso dos ataques em que morreram 77 pessoas, esta canção de Lillebjoern Nielsen não passa de “propaganda marxista” que serve para fazer “lavagem ao cérebro das crianças”.


It’s Sunday

Stand about Stand aloof Stand aside Stand apart
Stand back Stand away Stand by
Stand over Stand to Stand against Stand before
Stand with Stand alone Stand in
Stand it out Stand it out
Stand up Stand through Stand down Stand around
Stand ready Stand inside Stand me
Stand them Stand hurt Stand strong Stand along
Stand reckless Stand right Stand true
Stand it out Stand it out
Stand down Stand down your shoulder to the sea
Stand down Stand down your shelter from the rain
Stand down Stand down Stand beside your enemy
Stand over me Stand over me


Música para o fim-de-semana


Os maridos das outras

(apresentado pela minha amiga Cláudia)


Swing of change


Chuva

A chuvinha continuava. Numa canção esquecida, quiçá num poema, diz-se que «chove no meu coração». dá tristeza, mas uma tristeza agradável à qual compraz entregarmo-nos. É um sentimento difuso, cujo nome talvez não seja tristeza.

G.T. Ballester

A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade


Marta Onofre

Gosto muito do David Fonseca, mas este videoclip é particularmente especial. A minha sobrinha Marta é protagonista. Parabéns linda, estás ao nível do autor da música. Corrijo, voas muito mais alto.

P.S – Quando cá vieres, podes trazer o David.


Quiet and cold

A warm hug for those whose days are too quiet and cold.


Dia do pai


Mudem de Rumo

Uma pequena inspiração em dia de reflexão.


FDP…

…ou será FMI?

Porque tive hoje acesso ao recibo de vencimento deste mês, porque domingo são as eleições presidenciais, porque ontem alguns dirigentes sindicais foram presos, porque vou passar a pagar portagens para ir trabalhar, porque a gasolina aumentou, porque…. PORRA,  já chega, pá.