Archive for Maio, 2009

Mais um dia de luta!

Anúncios

…and I grow them very fast…

image0011


Por este rio acima…

Por este ria acima,

deixando para trás a concâva funda da casa do fumo,

cheguei perto do sonho flutuando nas águas dos rios dos céus…


Gravuras em V.V. de Ródão

UAU!!! Será que estou a ver bem?

mascara 

 Espero que seja um veado…Ainda ontem comi cabra…

animal

UFA… Consegui!

homem carregando animal


Walls

walls


DREAM 1

Tempo de solidão e de incerteza
Tempo de medo e tempo de traição
Tempo de injustiça e de vileza
Tempo de negação

Tempo de covardia e tempo de ira
Tempo de mascarada e de mentira
Tempo de escravidão

Tempo dos coniventes sem cadastro
Tempo de silêncio e de mordaça
Tempo onde o sangue não tem rasto
Tempo da ameaça


DANÇA DO FOGO


Há esconderijos nas conchas do corpo!


Zeca Afonso – Vida e Obra

Em Belmonte, Zeca Afonso completou a instrução primária e viveu o ambiente mais profundo do Salazarismo, de que seu tio era fervoroso admirador. “Foi o ano mais desgraçado da minha vida”, confidenciou. Pró-franquista e pró-hitleriano, o tio de José Afonso levou-o a envergar a farda da Mocidade Portuguesa

007


Danças que prendem

dança
Era uma vez uma rapariga que olhou para os seus dedos e viu as suas pernas, pegou no seu braço e fez dele uma parede inclinada. Essa parede transformou-se no céu que cobre a sua aldeia. Dos seus caracóis fez uma vassoura com a qual varreu todas as maldades que corriam de boca em boca.
Ponha os braços em forma de ventoinha e abra com o corpo em rodopio muitas pequenas casas redondas e rectangulares.
Com as maõs, revolva o seu cabelo para conhecer como dançam as vassouras.
Faça dos seus dedos as suas pernas e transforme a pele do seu braço numa montanha por onde passeia.
Veja a aldeia de abraços por baixo e si e incline-se para a frente sem cair.
Continue a inclinar-se até ao ponto de se tornar na metade de um telhado gigante que guarda a sua aldeia.
Entretanto, pode limpar as ruas imaginárias desse mundo feito do seu corpo com as pontas do seu cabelo e ver-se a si próprio virado ao contrário e em ponto pequeno.
Agora, encontre alguém a quem encostar a sua testa para sentir o que é o beijo das grandes montanhas.