Archive for Outubro, 2012

Lura

Num dos palcos do mundo, TMG, cantando em crioulo.

 

 


Rende-te…até que o dinheiro acabe


Parabéns, Cláudia

Don’t let your youth go to waste


Esplanada

Naquele tempo falavas muito de perfeição,
da prosa dos versos irregulares
onde cantam os sentimentos irregulares.
Envelhecemos todos, tu, eu e a discussão,

agora lês saramagos & coisas assim
e eu já não fico a ouvir-te como antigamente
olhando as tuas pernas que subiam lentamente
até um sítio escuro dentro de mim.

O café agora é um banco, tu professora de liceu;
Bob Dylan encheu-se de dinheiro, o Che morreu.
Agora as tuas pernas são coisas úteis, andantes,
e não caminhos por andar como dantes.

Manuel António Pina


Bom fim-de-semana


Portugal a(c)tual


Nas equipas vencedoras não se (devia) mexer.

Desde o início do ano lectivo que a tristeza e revolta me preenchem os dias. Hoje, abri a melhor garrafa de vinho e deixei que o calor me acalentasse a alma.

Hoje saíram os rankings das escolas.

Uma pequena escola de província, onde a única hierarquia era o trabalho empenhado de todos, (professores, funcionários e alunos) como se de uma funcional família se tratasse – daquelas – onde a tristeza de um era o choro de vários e a conquista de alguns, a glória de todos.

Esta escola onde havia uma reciprocidade de amor e respeito, ficou orgulhosamente em 356º lugar a nível nacional.

Os rankings valem o que valem, mas se tivermos em conta que grande parte dos nossos alunos vive no país profundo, sem acesso fácil a teatros, cinemas ou exposições, com muita dificuldade visita uma galeria de arte ou interage com algum escritor numa qualquer feira de livros, se tivermos isso tudo em conta, só me resta abraçar profundamente o projecto que foi a nossa escola e dar os parabéns saudosos a todos os agentes nele envolvido.

As equipas vencedoras deviam ser estimadas, nunca desmembradas.

Agora, estamos diluídos num Mega – Agrupamento. E sem amor, que esperança?


Só o Que Me Interessa

Daqui desse momento
Do meu olhar pra fora
O mundo é só miragem
A sombra do futuro
A sobra do passado
Assombram a paisagem.

Quem vai virar o jogo
E transformar a perda
Em nossa recompensa
Quando eu olhar pro lado
Eu quero estar cercado
Só de quem me interessa.


Seguro junta-se a Hollande para pressionar Europa

Um grande elefante africano e um ratinho correm lado a lado pela savana deserta. Grita o ratinho:
– Ó elefante!
– …
– Elefante!!!
– … …
– Ó elefante!!!
– O que é que foi, pá?!!!
– Já viste a poeirada que a malta está a levantar?
O Cantigueiro

Imagem

The name — of it — is “Autumn”


5 de Outubro

Quando o sol da cultura se encontra no ocaso, até os anões lançam sombra.


Alice perguntou ao coelho:
– Quanto tempo dura o que é eterno?
O coelho respondeu:
– Às vezes, apenas um segundo.