AMAR O INFINITO

Compreende-se que os místicos de outrora, à semelhança aliás de muitos que hoje se entregam a ocupação idêntica, tenham preferido dispensar amor ao Infinito, em vez de o investirem nas finitas criaturas. Além de não trazer notáveis aborrecimentos nem ameaças de ciúme infrene, o Infinito constitui a permanente garantia de haver sempre um ponto genuíno e imaculado que acolhe mestres sem repelir neófitos – ponto onde nem a alma sazonada ganha tédio nem o espírito bisonho perde alento.

Divina Comédia

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s