Para meu pesar

Da verdadeira felicidade não se tem consciência: vive-se e seguimos.

Anúncios

11 responses

  1. P. Lourenço

    Pois…
    A última felicidade de todos nós será repararmos no último momento em que conseguimos provar a vida que vivemos e achá-la boa. (MEC)

    Março 1, 2012 às 8:51 pm

  2. serleonino_sergio_

    A minha mámixa é mais: “ri todos os dias porque pode ser a última vez que estás a rir”
    (SP)

    De qualquer maneira gostei do pensamento do friend Lourenço

    Março 1, 2012 às 9:51 pm

  3. PL

    Também concordo contigo:
    Rir todos os dias, mas para isso tens de estar por perto
    Abraço 🙂

    Março 1, 2012 às 10:17 pm

  4. Helena Gomes

    eh…eh…eh…e eu a assistir…

    Março 1, 2012 às 10:21 pm

  5. Helena Gomes

    mas não se preocupem que guardo os apontamentos 😉

    Março 1, 2012 às 10:23 pm

  6. “Da verdadeira felicidade não se tem consciência: vive-se e seguimos.”

    Se me permites (e permitem) a opinião, e apesar de achar que as palavras se conjugam de forma lindíssima, não concordo com o pensamento, tendo em conta a minha própria experiência de vida. Todas as vezes em que fui/sou feliz, eu tenho consciência que sou feliz. É assim que reconheço e aprecio a minha felicidade e o que é ser feliz. É essa consciência, essa certeza de me saber e sentir feliz, que me ajuda a ultrapassar os momentos menos bons. Porque sei que pode doer agora, mas porra! Foi qualquer coisa de fantástico enquanto durou. E voltará a sê-lo, noutra situação, com outras personagens e argumento.

    Custa-me aceitar que só se reconhece o bom que se teve no seu final. É o mesmo que se viajar de olhos tapados: talvez até se chegue ao objectivo desejado, mas não vimos ou apreciamos a viagem até lá. E os desvios, os atalhos, as paragens não planeadas são o melhor de qualquer viagem, pois, na maior parte das vezes, o destino não corresponde às nossas expectativas, só desilude.

    Março 1, 2012 às 11:42 pm

  7. Helena Gomes

    Sim, jóinha, mas quando estamos ocupados a viver, não temos tempo para pensar se somos ou não felizes. Vivemos, simplesmente.

    Março 2, 2012 às 5:36 pm

  8. Mas, aí é que está, coração: Temos tempo, sim. É preciso é aprender a parar para sentir.

    Bom fdsemana! Beijooooooooooooo*

    Março 2, 2012 às 7:41 pm

    • serleonino_sergio_

      Porque é tão dificil entrar no seu blog?

      Março 3, 2012 às 12:08 am

  9. (Vi e agradeço o seu comentário “Para meu pesar”) 🙂

    Após algumas chatices com desconhecidos que se sentiram no direito de comentar a minha vida, vida essa que não é deles ou para eles, apercebi-me que parte da culpa dessa circunstância era minha, pois o meu blogue era público. Daí que, e por uma questão de sanidade mental, só se encontre disponível para os verdadeiros amigos.

    Março 3, 2012 às 12:52 am

  10. (Já estou a dormir em frente ao computador… Queria escrever “Vi e agradeço o seu comentário neste ‘Para meu pesar'”)

    Março 3, 2012 às 12:54 am

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s