E por vezes…

E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se envolam tantos anos.

David Mourão Ferreira

Anúncios

4 responses

  1. Sempre gostei muito deste poema.

    Como estás? Beijo.

    Novembro 9, 2011 às 9:00 pm

  2. Helena Gomes

    Cansada deste país. Vais à manifestação a Lisboa, no sábado?

    Novembro 9, 2011 às 11:06 pm

  3. Se não melhorar desta maldita gripe, não. Tu vais, pelo que deduzo? Ou deduzo errado?

    Novembro 10, 2011 às 2:19 am

  4. Helena Gomes

    Vou, se estiveres por lá, avisa-me.
    As melhoras.
    Beijos

    Novembro 10, 2011 às 4:38 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s