Acomodação

Um professor de economia americano disse que raramente chumbava um aluno, mas tinha chumbado, uma vez, uma turma inteira.

Esta turma em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava:  ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e “justo”.

O professor disse então:

“Ok, vamos fazer uma experiência socialista nesta classe! Ao invés de dinheiro, usaremos as vossas notas nos exames!”

Todas as notas eram concedidas com base na média da turma e, portanto, seriam “justas”. Significaria que todos receberiam as mesmas notas, ou seja, que ninguém chumbaria. Mas também significava, claro, que ninguém receberia 20 valores.

Logo que a média dos primeiros exames foi calculada, todos receberam 12 valores.

Quem estudou com dedicação ficou indignado, pois achou que merecia mais, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado!

Quando o segundo teste foi aplicado, os preguiçosos estudaram ainda menos – eles esperavam tirar notas boas de qualquer maneira.

Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que também eles se deveriam aproveitar da média das notas. Portanto, agindo contra os seus princípios, eles imitaram os hábitos dos preguiçosos.

Como resultado, a segunda média dos testes foi de 10 valores.

Ninguém gostou.

Depois do terceiro teste, a média geral foi de 5 valores.

As notas nunca mais voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, a procura de responsáveis e os insultos passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela turma.

A busca por ‘justiça’ dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações e inimizades. No fim de contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar os outros.

Portanto, para sua total surpresa, todos os alunos chumbaram…

O professor explicou que a experiência socialista tinha falhado porque ela era baseada no menor esforço possível por parte de seus participantes. Inércia e mágoas foi o resultado apurado.

Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual a experiência tinha começado.

“Quando a recompensa é grande”, disse, o professor, “o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós.”

«Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem o seu consentimento para dar a outros que não lutaram por elas, então o fracasso é inevitável.”

Adrian Rogers, 1931

Anúncios

2 responses

  1. Excelente a reflexao

    Janeiro 11, 2011 às 2:18 pm

  2. Helena Gomes

    Pois é, Fernando, lembra-te dele ao longo da tua vida. Para grandes resultados iguais esforços. Luta sempre por aquilo em que acreditas. Não te acomodes nem deixes que se aproveitem do teu trabalho. Um beijinho e até amanhã.

    Janeiro 11, 2011 às 7:13 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s